Perfil: Pharrell Williams

Pharrell Williams

Pharrell para o The Guardian.

Para aqueles que não acompanham o mundo da música com tanta atenção, ver Pharrell Williams na crista da onda parece coisa de outro mundo. Muitos ainda se espantam ao descobrir sua idade. São 41 anos e aparência de um jovem de 20.

Foi depois da participação dele no single “Get Lucky” (e que ainda tem a lenda do funk Nile Rodgers), que muitos descobriram a sua existência. A superapresentação com os colegas franceses do Daft Punk, Nile e Stevie Wonder (veja abaixo) e o single “Happy” (lançado em um site especial, em que você conseguia ver várias pessoas dançando 24h sem parar, veja aqui), na trilha sonora da animação “Meu Malvado Favorito”, mostrou que se alguém quer um hit hoje não precisa fazer muita coisa, apenas descobrir qual é o telefone de Pharrell.

Embora o público só tenha sacado isso agora, os músicos já estavam de olho em Pharrell há muito tempo. Ele escreveu canções de sucesso para uma série de artistas conhecidos, como Madonna, Jay-Z, Beyoncé, Frank Ocean, Shakira,  entre outros. Algumas dessas produções foram ainda pelo grupo Neptunes, que formou na década de 90 com o amigo Chad Hugo. Isso, sem contar as várias participações que fez por aí. Já cantou com Kanye West, Snopp Dogg, The Roots e esteve no super sucesso “Blurred Lines“, de Robin Thicke.

Pharrell Williams and Robin Thicke

Pharrell com Robin Thicke.

Tudo isso, acaba fazendo com quem ele crie uma certa marca e até se repetindo. Há poucos dias caiu na internet, por exemplo, um remix com várias músicas que ele já produziu e todas com o mesmo início. Ouça:

No remix, estão também músicas do segundo e celebrado disco G I R L (sim, com os espaços, para deixar claro que fez o disco especialmente para as mulheres). Depois de ser muito criticado pelo videoclipe de “Blurred Lines”, onde as mulheres estão muito bem vestidas e as mulheres seminuas, disse para o The Guardian: “Um mundo em que 75% dele será dominado por mulheres – é um mundo diferente. Isso vai acontecer e quando acontecer vou querer estar do lado certo.” (confira a entrevista completa aqui).

Pharrell defende tanto ao mulheres em seu álbum, que a musa do clipe “Marilyn Moroe” é a digníssima Helen Lasichanh. Embora rodeado de mulheres e mostrando as diferentes moças que existem, é num coração que dança com a mulher. No disco, participações de Kelly Osborne, Alicia Keys e Miley Cyrus endossam sua predileção. A única participação masculina é de Justin Timberlake. O disco é uma mescla do que vem apresentando nos últimos singles, pop e black music juntos.

Foi com o videoclipe, que apareceu e consagrou de vez o chapéu de Viviene Westwood (que no site oficial vale cerca de R$ 200), apelidado de Buffalo (pois foi apresentado na coleção Buffalo Girls, de Weestwood, em 82, e está também na cabeça de Woody, do Toy Story), foi a leilão e arrematado por US$ 44.100 (cerca de R$ 100 mil). O dinheiro foi doado para a instituição de caridade From One Hand to Another, que trabalha com a educação de pessoas de 7 a 20 anos em situação de risco.

pharrell-and-his-hat-at-the-2014-oscars

Pharrel apresenta a música “Happy”, trilha sonora de “Meu Malvado Favorito 2, No Oscar 2014.

Sua bermudinha (nada menos que uma Lanvin) usada na premiação do Oscar, no começo do ano, mostraram quem dita a moda. Por isso, Pharrell conseguiu contratos com a marca japonesa Uniqlo, para produzir camisetas e chapéus exclusivos; com a Adidas e com a marca holandesa G-Star. Muito trabalho pela frente. Amém!

Mais: Pharrell se emociona no programa da Oprah e é zuado por Ellen Degeneres.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s